Segunda, 16 de outubro de 201716/10/2017
83 99654-3170
.
ECONOMIA
Depois de três meses negativos, Paraíba retoma crescimento e cria 238 empregos
Comércio, serviços e agropecuária foram os setores responsáveis por quase todas as vagas criadas.
Sertão em Foco Paulista - PB
Postada em 17/07/2017 ás 18h23 - atualizada em 17/07/2017 ás 18h25
Depois de três meses negativos, Paraíba retoma crescimento e cria 238 empregos

O Mercado de trabalho na Paraíba voltou a crescer, após três meses de baixa. Ao todo, em junho, 238 postos de empregos formais foram abertos no estado, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados nesta segunda-feira (20) pelo Ministério do Trabalho. Comente no fim da matéria. Em maio, o estado fechou com saldo negativo de 591 vagas.


Comércio, serviços e agropecuária foram os setores responsáveis por quase todas as vagas criadas, enquanto a indústria de transformação e a construção civil registraram mais de 600 postos negativos.


No Brasil, foram abertos 9.821 novos postos neste mês, variação de 0,03% em relação ao mês anterior. Essa é a terceira expansão consecutiva e a quarta registrada no ano.


O Resultado do Caged é resultado da diferença de 1.181.930 admissões e 1.172.109 demissões. No acumulado do ano, o saldo alcançou 67.358 vagas de emprego abertas. No mesmo período do ano passado, o saldo foi negativo, com 531.765 postos de trabalho fechados a mais que abertos. O resultado acumulado nos últimos 12 meses ainda aponta uma redução de 749.060 postos de trabalho.


Setores


No mês de junho, o saldo positivo do Caged foi impulsionado pela agropecuária e pela Administração Pública. Em maio, foram gerados 36.827 novos postos de trabalho na agropecuária, repetindo o desempenho do setor em maio, quando registrou um saldo positivo de 46.049 novas vagas.


O setor de produção de café repetiu o desempenho do mês de maio e foi novamente o destaque do período, com 10.804 vagas abertas, concentradas em Minas Gerais. A Administração Pública fechou o mês com a criação de 704 novas vagas de emprego, um aumento de 0,08%.


Já os demais setores tiveram saldo negativo de emprego, com mais fechamentos de vagas que aberturas, como a construção civil (redução de 8.963 postos de trabalho), indústria de transformação (redução de 7.887 postos), serviços (redução de 7.273 postos) e comércio (com o fechamento de 2.747 vagas de trabalho).


Desempenho regional


O desempenho do emprego com carteira assinada foi liderado pela Região Sudeste, com a criação de 9.273 novos postos de trabalho, puxado por Minas Gerais, favorecido pela agropecuária e serviços, com saldo positivo de 15.445 vagas criadas.


A Região Centro-Oeste abriu 8.340 vagas, impulsionada por Mato Grosso, principalmente por setores como a agropecuária, comércio, serviços, construção civil e indústria da transformação. Goiás também teve expansão com a criação de 4.975 novos postos de trabalho, refletindo o setor de indústria da transformação, serviços e construção civil.

FONTE: Correio
O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

500 caracteres restantes

  • COMENTAR
    • Prove que você não é um robô:

imprimir
177